Protesto contra aumento do ICMS em SP movimenta várias cidades do interior; Secretário garante que imposto de produtos agrícolas não subirá

Para baixar o áudio, clique nos três pontinhos à direita da barra!

Mais de 150 cidades paulistas participaram do tratoraço organizado por produtores rurais e entidades nesta quinta-feira (7). A manifestação iniciada às 7h seguiu ao longo do dia, em protesto contra o aumento da cobrança de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Estado. Mesmo com o recuo do Governo, que anunciou ontem (6), a suspensão das mudanças no ICMS para alimentos e medicamentos genéricos, o manifesto foi mantido. A mudança nas alíquotas do imposto estava prevista para começar em 15 de janeiro.

O Chefe do Departamento de Economia da Faesp, Cláudio Brisolara, comentou que o aumento do ICMS em São Paulo seria um “tiro no pé”, em entrevista concedida à Rádio Jovem Pan:

O Secretário de Agricultura de São Paulo, Gustavo Junqueira, garantiu nesta quinta-feira o cancelamento da alteração tributária para todos os produtos agropecuários, incluindo leite, hortifruti, além de energia elétrica rural, itens sobre os quais pairavam incertezas. Ele acrescentou que o governo percebeu que o aumento da arrecadação não compensaria os custos gerados para o setor. Junqueira concedeu entrevista à TV Bandeirantes, de SP:

A Secretaria da Fazenda e Planejamento de São Paulo projetava uma arrecadação da ordem de 7 bilhões de reais com a medida, recursos vistos como importantes para fazer frente a perdas causadas pela pandemia. Mesmo que o Governo tenha voltado atrás, ainda é preciso analisar o decreto que será publicado, disse o vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), Tirso Meirelles, ao Broadcast Agro, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Para mais informações: www.paranacooperativo.coop.br / App Paraná Cooperativo

Com informações do Jornal Cana

Com informações do Notícias Agrícolas

Fonte da Imagem