Da voz ao voto: como crianças e adolescentes podem ser incentivados a participar das discussões sociais e políticas

O número de adolescentes votantes diminuiu nas últimas Eleições, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral. O voto é apenas um dos instrumentos de participação de adolescentes, porém, esse cenário pode ser um alerta de como o interesse por fazer parte da coletividade diminuiu, ainda mais no contexto de pandemia, que impôs outras preocupações e prioridades.

A participação é um dos quatro princípios da Convenção sobre os Direitos da Criança, adotada pela ONU em 20 de novembro de 1989 e que define os direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais das pessoas com até 18 anos. O Analista de Projetos do Centro Marista de Defesa da Infância, Olavo Henrique de Souza Chicoski, diz que essa participação precisa ser incentivada a partir da ideia que a política é algo que se faz hoje.

Imagem: Antonio Augusto/Ascom/TSE