Saiba como é o procedimento de vacinação dos rebanhos contra a Brucelose

A Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná), alerta sobre a necessidade de vacinar o rebanho bovino e bubalino contra a brucelose, imunização que pode ser feita em qualquer período do ano. A doença é causada por uma bactéria e pode ser transmitida para seres humanos. O abortamento é o principal sinal, e ocorre geralmente no último terço da gestação. Outros sinais indicativos da doença são o nascimento de bezerros fracos, retenção de placenta, corrimento vaginal, inflamação das articulações e inflamação dos testículos.

A brucelose bovina é endêmica no Paraná e as perdas econômicas são expressivas. Ocorre queda da produtividade, ou seja, menor produção de leite, além de baixos índices reprodutivos, aumento no intervalo entre partos, morte de bezerros precocemente e perda de animais. A coordenadora do programa, médica veterinária Elenice Amorim, explicou como é o procedimento de vacinação dos rebanhos.

No Brasil, é permitido o uso das vacinas B-19 ou RB-51, a Vacina Não Indutora de Anticorpos Aglutinantes. A aplicação deve ser feita corretamente sob a responsabilidade de um médico veterinário cadastrado na Adapar, e o uso de equipamento de proteção individual é fundamental para o vacinador, para evitar acidentes.

Para mais informações: www.paranacooperativo.coop.br / App Paraná Cooperativo

Com informações do repórter Gustavo Vaz, da Agência Estadual de Notícias do Paraná.

Imagem: Jaelson Lucas / Arquivo AEN